28 junho 2017

Post 21 - arrependimento n2

O que não fazer na Itália. Esse post, ao contrário do anterior, é um post de lembretes para não se repetir, é um post de "se arrependimento matasse".

Primeiramente: Não, pode parecer que me arrependi de ter ido pra Innsbruck, não. Não foi isso. Eu simplemente não preciso voltar lá.

nº 1- Mala grande demais
Em relação à Itália, está bem claro que levar uma mala maior do que a gente aguenta carregar não funciona, ideal é levar uma mala só e de preferência mochilão. Facilita pra andar, pra se vestir, pra pegar trem... Dois casacos é luxo puro, só pra ficar bonita mesmo, é suficiente um casaco quentão e um meio quente.

nº 2- Não falar inglês
Gente, horrível não conseguir se comunicar. Horrível!!! Quando você não sabe a língua local, as pessoas julgam logo que você deveria falar inglês. Então fale, por favor.

nº 3- Ficar pingando nas cidades
Ter aceito dormir num camping "longe" de Veneza sendo que não era nem necessário sair de Verona. Toda vez que lembro disso me dá vontade de chorar. O camping era agradável, mas pagar duas noites num lugar se você pode não sair do local mais confortável, carregando mala e gastando mais dinheiro e bla bla bla Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah (sim, raiva por eu não ter avaliado melhor e interferido nisso, eu nem fazia questão de Veneza).

nº 4- Ficar esperando os outros fazerem o que você gostaria de fazer
Fazer só o que os outros estão fazendo não é legal, rola combinar um horário pra todos se encontrarem, ou cada um vai viver sua vida e se encontra quando der, caso os interesses do dia não batam.

nº 5- Acordar e fazer o que eu quero, já que eu acordo cedo. Pra quê perder uma manhã inteira?
Então, lembre-se de tentar viajar com quem tem o mesmo pique e interesse que você! Assim todo mundo ganha e ninguém se estressa.

nº 6- Não combinar um lugar exato pra se encontrar é osso.

nº 7- Ter me separado da minha mala <3 p="">
Tem que ter um plano B caso viaje com outras pessoas, ou pelo menos deixar tudo muito bem explicadinho para caso ocorra um desencontro. Caso isso seja justo na hora de ir embora, lembre-se de estar com todas as suas malas e nenhuma mala de outra pessoa. Se você tiver que embarcar, vá livre!

nº 8- Não tenho que beber só pq os outros estão bebendo e me sentir obrigada a "entrar na vaquinha" de nada
Não foi bem um arrependimento pq os vinhos eram sempre bons, mas eu podia ter economizado uns euros sim se eu simplesmente tivesse dito: hoje eu não tô muito a fim.

Esse também é um post que eu vou preenchendo a medida que me lembrar das coisas.


27 junho 2017

Post 20 - arrependimento n1

Esse post é o post do arrependimento, ou o post do "motivos pelo qual eu devo voltar pra Itália". Como se precisasse de desculpas, arrependimento ou qualquer mimimi pra voltar... kkk

Bora lá!
Começar por Milão: Cidade com cara de cidade grande com mil coisas pra fazer inclusive curtir a night. Eu que não sou de balada fiquei doida pra curtir uma boate lá pra saber como as coisas funcionam daquele lado. Em Milão tem uma pinacoteca, e como não me canso de ver e viver a arte, eu preciso voltar lá pra ver essa pinacoteca! Leia pausadamente, pra dar um drama: Preciso!!! Tem uma gama de restaurantes e tudo o mais, inclusive pasticerie. Quero muito sentar em uma e comer quanto eu aguentar num café da manhã ou lanche da tarde. Risoto milanês, eu não comi! Ó que absurdo!

Em Innsbruck: não acho que tenha mais nada pra fazer lá... passa

Em Salzburgo: Ah... a casa de Mozart, com a igreja e o jardim e os afrescos... e a noite em Salzburgo, a cidade à noite deve ser linda e pra isso o ideal é se hospedar pertinho do centro, fora comer naquele restaurante caro e panorâmico que eu não tô nem aí se é caro, a gente aperta noutro dia, ou simplesmente vai rycah!

Em Verona: Conhecer todos os pontos turísticos, faltaram alguns. Aproveitar a ida no Lago di Garda e conhecer o ponto que eu marquei no mapa. Voltar no Re Teodorico e fazer a rycah de novo pq foi ótimo! Assistir uma ópera no teatro de arena, mas nem foi culpa minha, não estava na época.

Em Veneza: Comprar uma máscara e andar de gôndola. Ah! Tomar um Spritz na beiradinha e ficar esperta pq nem sempre os restaurantes da beiradinha são mais caros que os do miolo.

Florença: Viver Florença com mais vontade... tomar café da manhã numa pasticeria, visitar a Accademia. Visitar o mercado central de manhã!!!!! Conhecer o Giardino di Boboli inteiro, ir de tênis e levar uma garrafinha de água, caminhada árdua.

nº 1- Curtir uma balada em Milão
nº 2- Conhecer a pinacoteca de Milão
nº 3- Sentar numa pasticeria e comer bem!
nº 4- Comer risoto milanês em Milão
nº 5- Conhecer a casa de Mozart
nº 6- Ver a cidade à noite
nº 7- Comer no restaurante perto do Forte, panorâmico, curtindo a cidade
nº 8- Viver Verona cultural
nº 9- Lago di Garda no Museo del Castello Scaligero
nº 10- Re Teodorico de novo, foi ótimo e lindo aquele por do sol
nº 11- Ópera no teatro de arena
nº 12- Comprar uma máscara em Veneza
nº 13- Andar de gôndola
nº 14- Spritz na beiradinha do canal
nº 15- Café da manhã numa pasticeria
nº 16- Accademia
nº 17- Visitar o mercado central de manhã, por favor, não deixe isso passar
nº 18- Andar em todo o Giardino di Boboli

Vou deixar esse post aqui, pq quando voltar um arrependimento eu corro e escrevo, modificando o que for preciso.

26 junho 2017

Post 19

Em Florença

Esse post escrevi em BH, já em casa, pq queria digerir bem...

Florença não é uma cidade qualquer, é uma cidade que faz você querer voltar. Mesmo que não tenha um motivo óbvio, você volta. Ela respira arte. Tinha músicos nas ruas principais, bons músicos, que atraiam a atenção de quem passava. Nas praças, ou onde dava (deve haver um limite pra isso) barracas expondo pinturas e figuras da Itália. Pinóquios por toda parte. Grafites e figuras coladas nos muros, em locais estratégicos, nada que atrapalhe a arquitetura, uma das minhas diversões na semana em que vivi Firenze, era descobrir novas artes urbanas. Na rua do apartamento tinham várias, e desconfio que o artista era vizinho do prédio.

Então vou começar do começo: Aluguei um apartamento, por 5 noites, que fica na rua de trás do Palazzo Pitti; da porta do ap até a porta do Palazzo era uns 2 minutos. Foi pelo AirBnb, ap delicioso, com mais de 600 anos. "Nossa, caindo aos pedaços, né?!", você pergunta. Não, decoração bem feita, cuidadosa, anfitrião solícito e muito agradável. O único porém é a escada estreita, não tem elevador, e se você for uma pessoa nervosa pode não gostar do vizinho que chega 9h da manhã de uma bela noitada, cantando alegremente e a esposa o expulsando de casa kkkk Não foi assim todo dia, mas foi até divertido. Toda vez que escuto alguém pigarrear, me lembro dele.

Comprei as entradas pra Galeria Uffizi pela internet, pra garantir que esperaríamos pouco na fila. Por mim, teríamos ido logo no primeiro horário, mas pediram para comprar pra 10:15... tão tarde, ó céus! Maravilhoso, e ainda estava com algumas obras temporárias de Da Vinci.

Para entrar do Duomo é necessário enfrentar uma grande fila que anda até um pouco rápido, mas na minha opinião, não precisa se matar pra ir, o tempo de permanência na igreja é bem pequeno. Tem apenas uma abóboda pintada, mas ela vale o passeio. E observar o duomo do lado de fora já é um passeio! Ele é lindo!

E, se você está em Firenze e não vai ao Pitti, eu não sei dizer o motivo de você ter feito isso. Eu fiquei umas três horas lá, vendo as galerias e ainda ganhei um passeio guiado à algumas salas restritas e à cozinha do palácio (uma delas). Éramos eu de brasileira, 3 italianas, 2 franceses e 3 ingleses. A guia não falou nada em português. Quem lucrou com isso? Euzinhaaa! Que entende bem italiano, um pouco de inglês e, olha, vi que entendo até francês! Que maravilha! Depois fui ao Giardino di Boboli, que faz parte do palácio. Mas não andei em todo o jardim, explico: Como minha tia e meus primos dormiam até tarde, eu acordei como de costume e ao invés de esperá-los para começar a viver Firenze, me arrumei e fui ao Pitti. Nem imaginei que fosse ficar tanto tempo olhando as telas e esculturas, nem que se eu comprasse o ingresso pro jardim, junto com o do palácio, eu teria um desconto. Então, fui de saltinho, só porquê estava cansada de usar só sapato baixinho. Daí, andar do ap até o palácio era um minutinho, e ver a galeria, tranquilo... mas o jardim de saltinho... rolou não. Mas deu pra ver bastante coisa e, te digo uma coisa, separe um tênis, uma garrafinha de água e sua manhã para visitar os dois, mas a manhã inteira! Teria ficado umas duas horas naquele jardim se tivesse ido a caráter.

Outro lugar que é ponto turístico e estava do ladinho do apartamento é a Ponte Vecchio. Ela é aquela ponte famosa, que parece ter um monte de casinhas em cima, na verdade é cheia de lojas de joias e semi-joias, artistas expondo arte no chão da ponte e muita gente, muita gente circulando.

Fomos também ver o por do sol na Piazza Michelangelo. A vista é maravilhosa, e ver a cidade mudando de cor é muito lindo. As pessoas levam vinho, ou qualquer outra bebida, sentam-se na escadaria e ficam batendo papo enquanto o sol se despede. Isso é lá pras 20:30. Na praça mais embaixo tinha muita gente também e dois músicos tocando bossa nova, tava uma delícia.

A dica para comer em qualquer lugar é ver se tem o selo do Trip Advisor, ou então mete a cara mesmo que você pode dar sorte :) Normalmente, nos locais mais antigos é mais fácil dessa sorte acontecer.

Na última tarde, nos sentamos na praça do Pitti e tomamos uma cerveja mara! No mais "nada pra fazer" da vida, ou como dizem: Dolce far niente. kkkk

As pessoas são gentis, pelo menos comigo todas foram. Aliás... o que as pessoas reclamam tanto dos italianos eu não vi nada de grosseria, creio que minha energia devesse estar linda e só atraiu gente bacana. Só ganhei o passeio restrito no Pitti porquê conversei com o homem que recebe as pessoas no museu. Quando eu estava saindo da galeria um, ele me abordou e me disse que às 10:30 eu poderia voltar ali que teria uma visita guiada, que bastava eu aguardar. Tinha muita gente lá. Aposto que mais pessoas adorariam ter ido. E o tiramissú que ganhei do atendente mais charmoso da itália kkkk Em Milão ganhei um café mais caro e um pedido de namoro. Em Verona a atendente mais alto astral e gracinha do mundo me deu quatro pãezinhos só porquê eu perguntei o nome do nigucim! Em Veneza, a moça saiu da loja pra me explicar como chegar onde eu queria... sério?! Fui acolhida, acho que querem mesmo que eu volte.










Restaurante com vista pra Ponte Vecchio, que tem o funcionário mais galã de toda a Europa!
Il Ristoro, tiramissu delicioso!

O melhor café que tomei em Florença, talvez em toda a Itália